Ficando sozinho em casa em uma sexta-feira
Deitado no chão pensando
Em um velho amor
Ou na falta de um
Depois que todas as paixões desapareceram
E todo meu pensamento desejoso estava errado
Estou acabado
Odeio isso

Estou cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui
Tão cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui

Procurando todos os meus dias só pra te encontrar
Não tenho certeza de quem eu procuro
Eu vou saber
Quando eu te ver
Até então, vou me esconder no meu quarto
Ficando acordado a noite toda só pra escrever
Uma canção de amor pra ninguém

Estou cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui
Tão cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui

Eu poderia ter te encontrado em uma caixa de areia
Eu poderia ter passado por você na calçada
Será que eu perdi minha chance
E vi você ir embora?

Estou cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui
Tão cansado de ficar sozinho
Então corra e venha aqui
Você será tão boa
Você será tão boa pra mim

Anúncios

Inicio.

Eu diria que voltar ao inicio já é comum, e esperado por mim. Embora eu tenha passado a última semana sem grandes esperanças, e tacando o ‘foda-se’ por ai, eu realmente sabia que em algum ponto desse caminho, haveria algum adjetivo nunca antes utilizado, ou uma palavra boba dita de maneira meiga, que me faria voltar ao ponto de inicial, onde tudo era mágico, flores ou colorido hahahhaha.
Eu esperava que voltasse, mas não tão cedo. Aliás, ontem sai com um melhor amigo, e ganhei uns bons conselhos que jurei seguir, só que não esperava que a prova de fogo viria tão assim.

Um convite, como todos os outros, despretencioso e direto.

“Vamos nos ver hoje né?”

“porque?”

“porque ontem nao rolou (ainda mais por conta do jogo)
nem terça
nem segunda
nem domingo”

“você some”

“;/
hoje pode?
não né?”

“hmm”

“isso significa não te quero mais?”

” :/ ”

Parte meu coração, sério. Fui contrária aos meus instintos, totalmente contrária, e esperei resultados positivos, mas só o que obtive foi essa dorzinha fraca, que vem lá de dentro dizendo que eu errei, errei e errei.

Acontece.
Vou demorar uns dias pra superar. Queria que as coisas fossem mais fáceis :((((

Ai meu coração.

Um beijo,
Carol.

Daniel.

Mais uma vez focada na missão de deixar isso aqui o mais próximo possível com um diário, resolvi falar algo que ninguém precisa saber, mas eu adoro falar.

Meus amores. Hahhahahaha.
Ó, que se foda hein. Gosto de coisas guardadas, e vou gostar mais ainda de ler esses textos, daqui uns 5 anos… Igual eu faço com o fotolog (22_ka)…

Tava pensando com quem eu devia começar, e seria muito óbvio começar com o Julio, ou Rafael… Mas vou começar com alguém que não penso faz anos, e não tenho mais nenhum tipo de contato…

“Daniel.”

Nem lembro como eu o conheci. Devia ter uns 11 anos, e ele, na época era super mais velho… Devia ter uns 14 hahhaha… Lembro que ele era do signo de leão, e nasceu no dia 02 de agosto. Tinha um irmão bonitinho chamado Felipe, da minha idade… Mas eu me apaixonei pelo Daniel. Ah, Daniel. Éramos (somos?) vizinhos de condomínios, e nos viamos nas poucas vezes que eu ia visitar meu primo… Bom, eu era apaixonadinha por ele, era super pré adolescente, e fantasiava me casar com ele. Óbvio. Aliás, foram poucos amores do qual eu não fantasiei me casar.
Anyway, acho que eu nunca fiquei com o Daniel nessa época apaixonada. No máximo um selinho… Eu era ~bv~ e morria de medo de beijá-lo. Minhas amigas da época eram grandes amigas dele, e minhas grandes confidentes também. Mas essa relação nunca deu muito certa. Não comigo, com 11 anos e ele com 14.

Um tempo depois, quando já estava mais crescida, e já tinha terminado meu primeiro namoro de escola (durou 1 mês hahahaha), e estava desiludida. Acho que era meio de julho, e eu tinha 14 anos. Eu encontrei ele na rede social chamada ‘Orkut’ e pensei “Olha! Ele tá bonito agora!” adicionei, conversamos, e como somos vizinhos, marcamos de nos encontrar. Nos encontramos aqui embaixo mesmo, na rua do meu prédio, e… ficamos. Hahhahhaha lembro como era estranho, ficar com alguém mais velho do que eu estava acostumada… Ele ia fazer 18 anos, e tava me contando que não sabia se decidia entre ganhar uma moto, e ganhar uma viagem pra Porto Seguro. Cara, eu tinha 14 anos, e achei isso tão, mas tão fútil. Naquela época pouco me importava uma moto, e muito menos uma viagem pra Porto Seguro. Vai ser fútil e riquinho na PQP, e me esquece. hahahaha foi basicamente isso que aconteceu. Ficamos, foi legal. Beijava bem até, mas não era pra mim. Eu queria uma coisa mais simples…. Até hoje sou assim. Deus me livre homem fútil.

Fiquei uns 5 anos sem pensar no Daniel, e hoje estou aqui. Por onde será que ele anda? Eu gostava dele. Ele tinha potencial pra ser um grande amigo, sério.

É isso.
Esse é o amor de hoje.

Um beijo pro Daniel. :D
Carol.

O ideal.

Tava conversando com um amigo ontem, e perguntei pra ele qual seria o meu tipo de homem ideal. Uma pergunta difícil de se responder, uma vez que nem eu mesmo sei da resposta certa.
Ok, esse meu amigo não quis me dizer, mas conhecendo-o, sei bem o que ele pensa. Eis que ele pensa, como sempre pensou, que o homem ideal pra mim é ‘homem nenhum’. Sou louca, psicótica, e tenho síndrome de conto de fadas, e não devo me envolver com ninguém ~nunca mais~

Olha, pensando por esses lados, eu até posso concordar um pouco com essa tese, sabe? Sou meio doidinha quando me apaixono, e quando não sou correspondida então.. vish hahahhahaha

O fato é, tava pensando agorinha mesmo, e to tentando chegar a conclusão do meu ‘homem ideal’.

Se for juntar todas minhas paixonites e fazer uma média, o resultado vai ser: Músico (a maioria foi baixista, mas não me incomodo com detalhes), tem que gostar de rock, a maioria era alto, engraçado, inteligente e a maioria era canalha… hahahhahahah tá certo que isso aí é uma ciência inexata, mas se for pensar por esses lados, eu to rodeada de gente assim! Então meu homem certo deveria estar por perto, não? BAAAAM, errado.

Cara, se a grande maioria dos meus amores, tiveram um perfil parecido… Porque continuar insistindo no MESMO perfil, depois de comprovado que os outros casos não deram certo?
Posso citar uns dez nomes com essas caracteristicas, e ainda assim… Nenhum durou mais que uns meses.

Acho que eu me permito ser magoada mais uma vez. Porque eu sei que vai acabar em mágoa. Mas depois de aprender a última lição, vou começar a aplicar o meu recomeço. Vou ser mais paciente, sincera e racional, e vou analisar melhor minhas escolhas. Essa é a última escolha ruim que eu faço, sério.

Bom, noite linda pra refletir… Uma boa quinta pra mim, e uma sexta melhor ainda! hahahaha

Beiiiiiiiiijo,
Carol :B

RP!

“Porque você me entedia e dai eu desvio o rosto um segundo e já não aguento de saudade. E descubro que não é tédio mas sim cansaço porque amar é uma maratona no sol e sem água. E ainda assim, é a única sombra e água fresca que existe. Mas e se no primeiro passo eu me quebrar inteira? E se eu forçar e acabar pra sempre sem conseguir andar de novo? Eu tenho medo que você seja um caminhão de luz que me esmague e me cegue na frente de todo mundo. Eu tenho medo de ser um saquinho frágil de bolinhas de gude e de você me abrir. E minhas bolhinhas correrem cada uma para um canto do mundo. E entrarem pelas valetas do universo. E eu nunca mais conseguir me juntar do jeito que sou agora. Eu tenho medo de você abrir o espartilho superficial que aperto todos os dias para me manter ereta, firme e irônica. Minha angústia particular que me faz parecer segura. Eu tenho medo de você melhorar minha vida de um jeito que eu nunca mais possa me ajeitar, confortável, em minhas reclamações. Eu tenho medo da minha cabeça rolar, dos meus braços se desprenderem, do meu estômago sair pelos olhos. Eu tenho medo de deixar de ser filha, de deixar de ser amiga, de deixar de ser menina, de deixar de ser estranha, de deixar de ser sozinha, de deixar de ser triste, de deixar de ser cínica. Eu tenho muito medo de deixar de ser.” – Tati Bernardi.

Aquela sensação esquisita, de medo, por algo que nem começou ainda, mas já tira sua vida dos eixos.
To torcendo pra que tudo dê certo. To sozinha nessa, porque nem meus melhores amigos concordam comigo. To indo contra tudo e todos, e to lutando!

Um beijo…
Carol.