let it be!

“Querer, a gente quer muita coisa. Mas quase sempre é um querer preguiçoso, um querer que não nos impulsiona a levantar da cadeira, ainda mais quando nosso projeto tem 0,5% de chance de sucesso. É difícil conseguir o que se quer. Só se torna menos difícil quando se quer mesmo.” – Martha Medeiros.

Ela diz…

É estranho como ficar anos sem falar com uma pessoa, não modifica o que a gente sente por ela. Me faz crer que promessas passadas, se sinceras, podem sim ser mantidas. Mantêm minha crença em amor eterno, alma gêmea, para sempre.

Eu não ligo de não te tocar nunca mais, não te ver, não ser mais de quem te faz sorrir.

Eu ligo sim, de ter te perdido todos esses anos. Perdido aquela parte nossa, tão igual, tão unida. Odeio saber que eu não te conheço mais. Não sei mais quem são seus amigos, amores. Não te conheço, não sei o que te faz sorrir. Não saber mais conversar com você. Odeio como cada conversa rara me trás aquela sensação de não saber quando conversaremos de novo. Ou até mesmo, se conversaremos de novo. Nunca sei quando é a última vez. Quando você vai me deixar, como aquele plano já pré definido, e como eu vou agir quando isso acontecer.

Tenho medo de acordar um dia, e sentir que não somos mais, e nunca fomos.

Vou vivendo com o coração acelerando a cada conversa jogada ao vento. Esperando sempre que na próxima, já estejamos diferentes, mudados.

Aceito, enfim, a ideia que não há tempo ou crise que modifique velhos conceitos.

Nada mais faz sentido… ♥

Destino.

Hoje eu tive um sonho estranho. Sonhei que fazia uma coisa muito imprudente… Sabe aquele tipo de atitude que você só imagina ter, e planeja todos os detalhes, mesmo sabendo que nunca vai agir? Eu tenho as minhas, claro. E nesse sonho, a ~Carol doidinha~ falava comigo, e dizia que o destino nem sempre é aquele que a gente espera. Tem destino, que precisa de empurrãozinho pra funcionar. Eu percebi que nem sempre as coisas são como queremos, e o máximo que podemos fazer a respeito, é fazer acontecer. Transformar o acaso, modificar a história.

E visando tudo isso, decidi então, tomar as rédeas da situação.

Vou fazer as coisas acontecerem de uma vez. Vou arriscar, sem me importar com os resultados. Afinal, esse mundo não é lugar das coincidências nem das probabilidades.

Bora ser feliz? (:

Muito além do sofá.

“É pra eu falar então? Agora? Tá, olha só!
Meu bem, meu bem, você me fez tão mal
Será que você não vê meu bem?
Que eu nunca dancei no carnaval
Então me deixa de fora mas me deixa tentar
É me deixa dançando
Mas me deixa dançando o meu tango
Que é isso o que eu sei dançar
Tudo muda meu bem
E também qual é a graça se não mudar?
Será que você não vê meu bem
Todas as vezes que eu parti
Eu nunca prometi voltar
E todas as vezes que eu fui
Eu nunca prometi ficar.” – Esteban Tavares <3

Sonhos que a gente sonha.

Hoje me peguei relembrando da menina que eu fui, cheia de sonhos e determinada em fazer as coisas darem certo. Parei para ver onde eu tinha chegado, em quem eu me tornei, e em tudo que eu passei pra chegar até aqui.

Eu tinha 12 anos quando decidi fazer Psicologia. Estava passeando pelo mundo com uma tia, e ela me contou sobre contos e lição de moral. Explicou como funcionava as palavras na cabeça de uma criança, e pra mim isso foi fascinante. Entender como um simples conto funciona quando alguém o lê.

Quando fiz 14 anos e tive meu primeiro namorado, meu maior sonho ao lado dele, era casar cedo, e começar uma vida plena ao lado daquele que eu amava. Era bobo, porque afinal, eu tinha 14 anos, mas nunca deixou de ser sincero. Eu acreditava que ia casar com o Rafael quando fizesse 18 anos. Tínhamos motivos de sobra pra não sonhar este sonho, mas um só motivo nos fazia acreditar. Na minha cabeça de adolescente recém formada, qualquer tempo longe dele era longo demais.
Ficamos 2 anos juntos, e no meio desse período, ele começou a graduação. Escolheu Psicologia por questões de afinidade, e todos os dias quando chegava da faculdade, me contava o que tinha aprendido, e me dava a certeza daquilo que eu queria pra mim.

Com 16 anos, meu irmão me disse para fazer um curso técnico, para que quando eu terminasse o Ensino Médio, eu já tivesse uma formação. Escolhi Nutrição, somente pelo fato de ser o curso que mais se aproximava da área que eu queria cursar na faculdade.
No técnico, eu conheci pessoas maravilhosas, que me ensinaram coisas valiosas sobre a vida. Nessa época, meu namoro com o Rafael tinha acabado de chegar ao fim, e eu não achava motivos para sonhar. Minha melhor amiga de Nutrição, me ensinava diariamente coisas que me faziam crer que aquilo não era o fim. Ela me ensinava sobre as pessoas, sobre a vida, e sobre mim mesma. O Vinnie, colega de classe do técnico, me ensinava que a vida pode ser intensa e louca, se você quiser que ela seja. Que os seus sonhos, não precisam depender da boa vontade de outra pessoa.

Depois de fazer 17 anos, eu redescobri meu melhor amigo, Julio, e no meio de tanta coisa louca, eu decidi finalmente namorá-lo. Voltei a sonhar com o amor, e aquelas coisas que só a gente sonha quando está apaixonado.

Uma semana antes de fazer 18 anos, aconteceu o fato que mais me aproximou de qualquer sonho que eu pudesse ter na vida, e ao mesmo tempo me tirou todos eles. Algumas decisões erradas meses antes, e então a vontade de Deus se fez presente.
Fiquei 3 dias internada no hospital.
Foi o mais perto de uma depressão que eu cheguei. E quando eu tinha que me agarrar em todos os sonhos possíveis, o único que eu não podia sonhar, era o único que eu queria naquele momento.

Até hoje, se mantém como o maior sonho da minha vida. Meu maior desejo.

Em maio deste ano, depois de 3 anos namorando, terminei com aquele que foi o melhor amigo e melhor namorado que eu já tive. Foi um impulso bobo, mas sensato.
Ainda em maio, sai daquele emprego do qual eu já tinha passado um ano, e estava em um cargo confortável, onde muitos tinham desejado estar. A iminência de um arrependimento estava muito próxima, mas na época eu criei sonhos maiores.

10 de maio. Passei na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em primeira lista. Psicologia. A melhor faculdade em Psicologia de São Paulo, e entre as 8+ do Brasil.

30 de julho. Um pedaço disso tudo começou a se realizar.

Estou decididamente feliz com as escolhas que fiz ao longo do tempo. Satisfeita com o que a vida vem me trazendo.
Alguns personagens dessa história que eu contei, não fazem mais parte de mim, mas ainda assim sou grata a tudo que eles me ensinaram. Vamos viver nossos sonhos, temos tão pouco tempo.

Ah! Hoje, eu ouvi uma frase tão verdadeira, que encerro o post com ela:

“If you can dream it, you can do it. Always remember that this whole thing was started with a dream and a mouse.” – Walt Disney.

 

Um beijo,

Carol.

MVV.

“Se eu disser que hoje eu sonhei
Com aquele dia olhando o mar ao lado teu
Vou te ligar e te dizer que sinto falta!
Enlouquecendo ouvindo a sua voz dizer
Me liga agora
E vai saber
Se o meu mundo ainda é você

Diz?

“Diz pra mim que você enfrentaria mares e tempestades para estar comigo; que se tivesse sete vidas, viveria todas por mim; que a cada estrela que você visse lá no céu, seu desejo de me ter ao seu lado só aumentasse; que sem mim você não existiria, assim como as manhãs soam mal sem o Sol; diz pra mim que meu coração é quem pulsa o sangue que corre em suas veias; que meus beijos são a tua droga, e o teu remédio; que seus passos mais importantes, só acontecem quando estou com você; diz pra mim que com você é diferente, diferente de todos. Que você vai me fazer feliz sem igual, e os dias que passarmos juntos, amanhã serão nosso passado, presente e futuro. Diz que você vai me fazer sua melhor amiga, companheira de aventuras, e amante perfeita. Diz que você vai me tratar como uma princesa, e fazer de teus braços o meu castelo. Diga-me tudo, apenas com uma palavra de amor, mesmo que ela seja muda.”

E.N.

Tudo mudou
O que foi que aconteceu
que de repente acordamos nesses dias?
Ainda posso sentir o sabor
do que a gente perdeu.
E ainda penso em você, acredita?

Vem dar valor ao que é bom nessa vida
que é tolice viver por viver,
e já é dia de deixar pra trás a dor e o “tanto faz”.
É cedo ainda.

Fomos tolos e egoístas pra crescer.
Crescer sem alegria.

Dizer “pra sempre” é bem menos
do que sentir na carne querer de verdade
E tem coisas que não vão sumir, você sabe
Tem um lugar em mim que é só teu
e nada vai mudar porque é meu.
Mesmo que a gente deixe errado
a que a gente escolheu.

E eu ainda lembro da primeira vez, que você me mandou essa música uns 2 anos atrás.
Eu ainda acho que somos almas gêmeas. E também acho que em outras vidas vamos acertar o que fizemos de errado nessa.

Hey, espero que você esteja feliz.

<3

Quando crescer.

O que você vai ser quando crescer? O que a gente vai fazer quando se ver de novo…?
O que será que acontece pra gente um dia não se querer mais?

Eu só queria um pouco de paz.

Eu sou o que eu queria ser quando crescer.
E estive em todo lugar, exceto aonde você está, pois tudo ao meu redor é estranho agora que eu já não te tenho mais.

Eu só queria mas eu não sei mais.

Então escolha! De que lado vai jogar? Pois ao meu lado está sobrando um lugar, ele é teu, eu sou seu.
Então me diga, onde é que você está? No meu passado, você não pode ficar.

O que o mundo vai dizer, quando o amor vencer?
O que a gente vai pensar quando a luz se apagar?
Eu quero um minuto de silencio, será que é pedir demais?

Eu só queria, mas eu não sei mais como é você.

Acabou, eu não sou o teu cantor.