Gabriel Barboza da Costa

Depois de tanto tempo e de tantos outros, você finalmente apareceu. Eu sinto um misto agudo de desespero e felicidade toda vez que te vejo pelo skype e percebo que seu sorriso me acalma. A nossa equação confunde o matemático mais experiente. Dá medo, sabe? E mesmo com tantos contras, a vontade de segurar sua mão e não soltar mais é maior, muito maior.

É o sorriso que você dá em alguma hora aleatória da noite, que me faz ver que está tudo perdido, e o seu sinal de reconhecimento me indica que você sabe, tanto quanto eu, que não tem mais volta. Não tem mais volta porque desde aquele primeiro dia 28, eu me tornei sua de uma maneira irreversível. Você me faz esquecer todos os 22 anos de decepções e me trás a esperança de um novo caminho feliz. E eu descobri em você que dar a chance pra alguém pode ser bom, e fico feliz em dizer que você tem sido a minha melhor escolha.

O momento exato em que eu soube que era você, Biel, foi quando você preferiu me chamar de Ana, ao invés de Carol. Quando você cantou “Ana, seus lábios são labirintos” ao invés de “Carolina é uma menina bem difícil de esquecer” pra mim. Quando a primeira vez que nos vimos pelo skype, a duração da chamada teve 4 horas. Quando tu aceitou que eu te chamasse de Biel, apesar do apelido ser gay. Eu soube que era você, quando demorei duas horas pra te beijar por medo de “estragar o encanto”, e quando te beijei, o beijo foi o melhor que eu já tinha tido. Eu soube que era você quando dormimos juntos pela primeira vez, e seu abraço foi a melhor coisa em que eu já me apoiei… Quando eu não quis mais ficar com ninguém e rejeitei todos os outros “bons partidos que moravam perto” que me apareceram. Quando eu pensei comigo mesma e decidi que “hey, Austrália até que não é tão longe, e 8 meses não são tão ruins.” Eu soube que era você, quando decidi que ficaríamos juntos, apesar dos 75km de Santos – São Paulo, e dos oceanos que irão nos separar ano que vem.

Quando tu disse “você é rara demais, sabia?” e isso foi a coisa mais linda que eu já ouvi, ou quando disse “as vezes eu preferia sumir, a ter que te deixar” e me fez chorar por isso. Biel, eu amei você no último sábado, quando nossa sincronia foi perfeita e eu tive, pela primeira vez, vontade de largar tudo em São Paulo e ir morar em Santos.

Eu só consigo imaginar quantos outros caras eu não deixei por coisas bem menores que Austrália, ou cidades diferentes. E você me faz esquecer tudo isso, todos os problemas, e eu piso em nuvens quando nos falamos todos os dias, ou quando tu me manda uma foto linda indo pro trabalho e eu me apaixono de novo e de novo…

Biel, eu tenho vontade de apagar todo texto mal escrito pra outra pessoa, porque é pra você que todos os meus vão se direcionar a partir de hoje. Eu espero te ver na minha formatura, daqui dois anos e meio, ok? Eu vou estar te esperando quando você retornar da Austrália, em 2016.

Gosto muito de você menino lindo! Que eu possa calar sua boca com beijos muitas outras vezes, e que enquanto estivermos juntos, todos os dias sejam coloridos.

While you’re away, chasing their own dreams
Sailing around the world
Please, know that I’m yours to keep ~

Anúncios